amarildo

Não sei se quem defende “bandido bom é bandido morto!” sabe ler, e não reclamem da forma como essas pessoas são tratadas neste texto dado como elas tratam a questão e as pessoas,mas se souberem ler e pensar, o que duvido, espero que ententam uma coisa:
 
É óbvio que uma pessoa que diz “Não vai ocorrer comigo” pra justificar violência policial, abuso de autoridade e homicídio, que são crimes e tornam o policial um criminoso, esquece de mortes com o a de Amarildo, que foi preso, assassinado e sumiram com o corpo sem que ele tivesse qualquer envolvimento com o crime, ou do Dançarino do Esquenta, o DG, que foi assassinado pela polícia enquanto voltava pra casa.
Esse tipo de pessoa tá com tanta fome de justificar violência policial e com tanta ausência de empatia pelo outro que transforma a realidade em conto de fadas.
Alguns chamam isso de burrice,mas acho que é crueldade mesmo.
 
Pior é que defende crime cometido por policiais pra justificar que “bandido bom é bandido morto”.
Quem é bandido?
A Claudia Silva Ferreira foi assassinada pela polícia e arrastada, tentaram transformá-la em criminosa para justificar sua morte, e é o que fazem com todos os mortos pela polícia.
O menino Eduardo, de 10 anos, foi transformado em “bandido” porque foi assassinado por policiais.
Todo assassinado pelo Estado, todo assassinado por policiais vira bandido, seja ele ou não um.
E isso acontece como se bandido morto não fosse homicídio e significasse que a polícia mandou pro cacete qualquer tipo de respeito às leis.
 
O fato de criminosos serem bárbaros e desobedecerem as leis e matarem pessoas é inerente ao fato de , tcharam, serem criminosos.
Criminosos não obedecem as leis, por isso existem punições, que são determinadas por juízes a partir de peças de acusação feitas pelo ministério público.
A polícia NÃO PODE ultrapassar o limite dela que é o de apurar e prender os criminosos. Quando ela se torna juiz e juri ela comete, tcharam, crime, portanto se torna bandida e ai, se reaça pensasse, o que duvido, entraria pro cálculo de “bandido bom é bandido morto”.
 
Mas independente disso tudo existe o fato óbvio que uma pessoa perdeu um filho porque a PM co-me-teu um cri-me, CONSEGUEM ENTENDER? A PM matou uma pessoa.
Se fosse em legítima defesa, o que as circunstâncias apontam para o fato de que não foi, o policial não responderia por crime, mas a ostentação da morte,etc, a forma como ocorreu indica execução, que é crime.
E ainda assim independente disso,s e houvesse justificativa existe um mínimo de empatia, um mínimo de noção de entender que criminosa ou não a vítima tem mãe, a mãe da vítima não é criminosa por ser mãe e não merece ser tripudiada em sua dor.
 
Se essa direita “de bem” tivesse um mínimo de inteligência, honra, decência, e até coragem nessa cabecinha de soldadinho de cumbo pouco menos válida pra vida humana que nitrato de pó de merda entenderiam isso.
A barbárie chega pra todos, e em especial pro sujeito que naturaliza a violência policial e do Estado. Porque apenas os que vivem nas mais altas esferas estão praticamente livres da barbárie, da classe média pra baixo não existe niguém que seja poupado dela.
Anúncios

Comente, mas cuidado...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s