Marcelo Freixo sofreu novas ameaças de morte, onde inclusive mencionam pagamento  de 400 mil por sua cabeça e sairá do país para reajustar sua segurança e reduzir a pressão pessoal, chamar atenção das autoridades,etc. Em tempos de eleitoralismo à todo vapor é fácil, e estúpido, cometer o  erro que eu mesmo cometi de imputar golpe publicitário à ação. A parada e séria, nego preto, e o trem ta feio.
Mesmo com todas as críticas que o Deputado mereça pela ação política interna e externa ao PSOL no que tange especificamente à construção de alternativa política à este tipo de costura política que sustentam o sistema atual, a ameaça à sua vida é fator gravíssimo que deve e merece ser combatido por todas as instancias da sociedade. Não dá mais pra aturar uma cidade e um estado entregues à grupos criminosos com braço no Estado, mantidos e sustentados por membros da Câmara Municipal, da ALERJ, da Secretaria de Segurança, Polícias Militar, Civil e Bombeiros, tanto com participação ativa quanto por omissão.
A saída de Marcelo Freixo do País é fato grave e não pode ser combatido apenas com discursos na OAB e passeatas na Orla, é preciso ir além, com pedido direto de impeachment do Governo do Estado por omissão, fingir que não conhece as ameaças, fingir ignorar o grave risco à vida das pessoas e pro vezes sendo cúmplice de assassinatos como o da juíza Acioly ao retirar sua proteção, com a anuência criminosa do poder judiciário estadual.
O crescente mando das milicias pela cidade é facilmente distinguível, basta rodar pelos bairros da zona oeste e se sabe que é de propriedade de milicianos lojas de carros, bares, restaurantes e a venda de “gatonet” rola solta.. e não só nas áreas “favelizadas’.
Se juízes e Deputados são ameaçados e mortos,o que esperam que seja feito das vidas das pessoas comuns, mesmo a que apenas questionam barbaridades dos “donos” da cidade? O que ocorre é o comum, gente morta, ameaçada, oprimida.
Por isso a luta contra as milicias e o descaso dos governos tem de ir além de solidariedade ao deputado é caso de exigir investigação pelo ministério Púbico das redes de relação entre milicianos e políticos e pedir o impeachment do governador omisso, pra dizer o mínimo.
Não é preciso votar no deputado para participar disso,  é preciso ir além do apoio individual e dos movimentos circunscritos nos trâmites legais ou em manifestações específicas que não atraiam os que são ameaçados diariamente pelas milicias.

Tá na hora de pedir um Fora Cabral,né não?

Anúncios

Comente, mas cuidado...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s