Marcelo Freixo em entrevista recente ao Repórter de Crime de O Globo (Aqui) afirmou que “As UPPs são um projeto de cidade. Basta ver o mapa com os locais onde foram instaladas.  As UPPS precisam ser percebidas junto dos muros, da barreira acústica e das remoções”.O nobre Parlamentar foi corretíssimo, não só pela avaliação do quadro atual, mas por ressaltar uma característica da cidade do Rio de Janeiro ao menos desde o início do Século XX com as reformas urbanas de Pereira Passos.
Gizlene Nader em seu artigo “Cidade, Identidade  e Exclusão Social” (aqui) afirma que: “As preocupações com o controle da massa de trabalhadores pobres revelam o medo branco, ainda presente (…)”. Este medo branco persistente  se revelava em 1908 através de uma  política de controle das “classes perigosas”. Essas classes perigosas precisavam ter um espaço de trânsito controlado, serem vigiadas para que a “ordem” se manifestasse de forma absoluta, permitindo às Classes “bem nascidas” e “educadas”  a liberdade de ocupação da cidade, do melhor da cidade, com o mínimo de contato com o que consideram inferior. 
Esta idéia foi colocada em prática através das reformas urbanas de 1908 quando foi criado um cordão “sanitário” da Lapa até o Rio Comprido, evitndo a circulação das classes populares na slocalidades de moradia da Elite 
Alguma semelhança com as UPPs? Confome  entendemos sim! As UPPs  são a mais nova face d política de secessão urbana, feita através do controle rídigo de transito das classes pobres, tornando a polític de policiamento radical das áreas pobres uma forma de restrição de movimentos que torna as áreas ricas mais “seguras”. 
O sacrifício da liberdade dos moradores das UPPs é considerado dano colateral aceitável diante da necessidade de afastar dos centros da elite qualquer forma de convivência com os males da cidade e com a população. Assim como foi aceitável o isolamento da violência nas comunidades periféricas mais pobres com o acirramento do preconceito da vinculação de pobre com o significado de bandido é aceitável manter  as mais próximas da riqueza afastadas de incursões violentas, com o tráfico desarmado, mas  castradas na liberdade de ir e vir, de conviver.
As UPPs são a evolução da cidade aburguesada de Pereira Passos, são a versão da redução da cidade quilombada a pequenas áreas sob controle rígido policial, enquanto a violência é afastada do centro pela periferização e aumento das milícias.A cidade de Pereira Passos dá lugar à cidade olímpica de Pereira Paes. É a modernização da exclusão do pobre.
Anúncios

2 comentários sobre “As UPPs e a cidade de Pereira Passos

Comente, mas cuidado...

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s